Geral

Golpistas se passam por integrantes de facção para extorquir vítimas em Porto Seguro

Em novo tipo de golpe, estelionatários acusam vítimas de estarem fornecendo informações sobre o tráfico à polícia e fazem ameaças de morte

.

Radar64
02/05/2022 por RADAR64

Divulgação/Radar64Divulgação/Radar64

Um novo golpe, no qual pessoas se passam por integrantes de facções criminosas para ameaçar e tentar extorquir dinheiro das vítimas, chegou à região da Costa do Descobrimento. Em Porto Seguro, há pelos menos 50 dias a polícia e o Ministério Público da Bahia têm registrado casos desse tipo de crime, que ocorre através de redes sociais ou de ligação telefônica. Os alvos são pessoas físicas e também empresas. Já os valores extorquidos e o tipo de ameaça podem variar.


ALERTA – O alerta sobre esse novo tipo de golpe foi feito pelo promotor de Justiça Bruno Gontijo e também pelo 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM) de Porto Seguro, que divulgou uma nota orientando a população. Segundo a polícia, os golpistas dizem ser integrantes de uma facção e acusam a vítima de estar fornecendo informações sobre o tráfico à polícia. Mediante ameaças, os estelionatários exigem que seja paga uma quantia em dinheiro.


VERSÕES DIFERENTES DE GOLPE – De acordo com o promotor, o mesmo golpe tem versões diferentes, dependendo se for direcionado a uma pessoa física ou a uma empresa. O golpista entra em contato com a vítima e se identifica como integrante de uma facção criminosa, normalmente alguma conhecida nacionalmente.


No caso de uma pessoa física, o estelionatário afirma que a pessoa está atrapalhando a venda de drogas no bairro ou na rua onde reside, por denunciar a atividade à polícia. A partir daí, o golpista faz ameaças de morte e envia fotos de pessoas com armas. Em seguida, pede uma quantia em dinheiro para que a vítima não seja morta, explica Gontijo.


Alerta sobre esse novo tipo de golpe foi feito pelo promotor de Justiça Bruno Gontijo

No caso de empresas, há duas versões. Em uma delas, é utilizado o mesmo argumento de que o empresário estaria atrapalhando o comércio de drogas por denunciar o tráfico naquele local à polícia. No caso, o empresário é ameaçado de morte.


Na outra versão do golpe, há ameaça de dano ao patrimônio. O estelionatário diz que está na porta da empresa e avisa que vai quebrar tudo e incendiar o local.


INFORMAÇÕES OBTIDAS NA INTERNET – O promotor salienta que as informações e fotos das vítimas utilizadas no golpe são obtidas pelos estelionatários na internet e são fornecidas, indiretamente, pelas próprias pessoas em suas redes sociais, por exemplo.


Além do tipo de ameaça, também as quantias pedidas variam de acordo com a vítima, comenta Gontijo. O promotor afirma que o golpe já está sendo investigado pela polícia e todas as providências estão sendo tomadas. Segundo ele, não é possível identificar de onde partem as ligações, pois os DDDs dos chips podem ser de um local e a chamada, de outro.


ORIENTAÇÕES – O 8º BPM orienta as pessoas a não responder à mensagem, bloquear imediatamente o contato, ligar para o telefone 190 informando sobre a situação e fazer um boletim de ocorrência na delegacia de Polícia Civil. O promotor enfatiza que, no caso de vítimas que caíram no golpe e foram extorquidas, é muito importante que registrem o fato na delegacia.


.


Link curto: https://bit.ly/3kuARNB

TÓPICOS:
Radar64

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu