Geral

Promotor acompanhará investigação da morte de mulher de Renato Kalil

Fernando Bolque foi o promotor designado pelo Ministério Público de São Paulo para acompanhar os levantamentos sobre o caso

Rastro101
Com informações do site O Tempo

15/03/2022 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O TempoO Ministério Público do estado de São Paulo designou o promotor do júri Fernando Bolque para acompanhar as investigações da morte de Ilana Kalil, mulher do médico Renato Kalil.

Ela foi encontrada morta em casa na segunda (14). O caso foi registrado como suicídio, e os detalhes estão sendo preservados.

Aos 40 anos, Ilana era nutricionista de formação e instrumentadora cirúrgica. Depois que o marido foi denunciado por violência obstétrica pela influenciadora digital Shantal Verdellho, Ilana chegou a defendê-lo nas redes sociais.

De acordo com integrantes do MPE, é comum a designação de um promotor para acompanhar casos sensíveis como este.

O Ministério Público de São Paulo e os hospitais paulistanos Rede DOr São Luiz e Albert Einstein estão investigando as denúncias contra o obstetra. Um processo tramita sob sigilo no Cremesp (Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo).

Considerado referência na obstetrícia brasileira e famoso por fazer partos de celebridades, Kalil nega as acusações, que vieram à tona em dezembro do ano passado.

Na ocasião, áudios e vídeos circularam na internet com frases desrespeitosas atribuídas ao médico e pronunciadas durante o parto da filha da influenciadora Shantal Verdelho, primeira mulher a acusar Kalil.

A denúncia foi feita após áudios privados da influenciadora sobre o médico terem se tornado públicos.

Ele [Kalil] me xinga o trabalho de parto inteiro. Ele fala prra, faz força, filha da mãe, viadinha, ela não faz força direito. [...] Tem vídeo dele me rasgando com a mão, era só para eu ficar arrebentada e falar ah, você tinha razão, eu deveria ter feito a episiotomia.

A episiotomia é um procedimento cirúrgico feito no períneo para facilitar o parto, pois aumenta a abertura vaginal para a saída do bebê.

Em outra mensagem, a influenciadora diz: Ele chamou meu marido e falou: Olha aqui, toda arrebentada. Vou ter que dar um monte de pontos na perereca dela. Ele falava de um jeito como olha aí, onde você faz sexo, tá tudo fdido.

Trechos do vídeo do parto feitos por Mateus Verdelho, em que o médico aparece proferindo xingamentos a ela, foram divulgados posteriormente. À polícia Verdelho explicou por que não reagiu aos xingamentos de Kalil na hora do parto da filha.

Shantal também afirma que Kalil receitou a ela o medicamento Misoprostol para induzir o parto. Ele é contraindicado para pacientes que já tenham feito cesárea, caso da influenciadora.

A defesa do médico tem afirmado que que o parto de Shantal ocorreu sem qualquer intercorrência e que as condutas do profissional sempre foram pautadas pelas boas práticas, seguindo integralmente protocolos técnicos vigentes.

No registro em áudio, a influencer conta que, ao assistir ao registro do parto, feito pelo marido, Matheus Verdelho, viu que o médico a xingava sistematicamente. É muito palavrão e xingamento o tempo inteiro, diz ela.

O vazamento e a repercussão do caso levaram outras mulheres a se pronunciarem sobre episódios inadequados, machistas ou de assédio moral que teriam sido protagonizados por Kalil.

Link curto: https://bit.ly/3Ib3icH

TÓPICOS:
Ginecologista

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu