Esporte

Vitória da oposição em estados impulsiona candidatura de Luiz Viana a OAB

Os resultados das eleições da OAB nas seccionais do Acre, de Alagoas e de Sergipe, que aconteceram na sexta-feira (19), podem viabilizar a candidatura do baiano Luiz Viana à presidência do Conselho Federal, cujo comando será definido no dia 31 de jan

Rastro101
Com informações do Bahia Notícias

20/11/2021 por Redação

Divulgação/Bahia NotíciasDivulgação/Bahia Notícias Os resultados das eleições da OAB nas seccionais do Acre, de Alagoas e de Sergipe, que aconteceram na sexta-feira (19), podem viabilizar a candidatura do baiano Luiz Viana à presidência do Conselho Federal, cujo comando será definido no dia 31 de janeiro de 2022. Nesses estados, grupos de oposição ao atual presidente da OAB Nacional, Felipe Santa Cruz, saíram vitoriosos.

 

No Acre, o advogado Rodrigo Aiache foi eleito para comandar a seccional. Já em Alagoas, a advocacia do estado elegeu Vagner Paes. Em Sergipe, Daniel Costa foi o candidato mais votado e vai comandar a seccional no próximo triênio. Para a presidência da OAB Nacional, votam 81 conselheiros federais, sendo três representantes de cada estado. 

 

Luiz Viana é candidato ao Conselho Federal pela Bahia na chapa da advogada Daniela Borges. As eleições na seccional baiana acontecem na próxima quarta-feira (24). As pesquisas indicam vantagem de Daniela em relação aos adversários, o que fortalece as chances de viabilizar a candidatura de Viana ao Conselho Federal. 

 

Atual vice-presidente da entidade, Luiz Viana rompeu com Felipe Santa Cruz, por discordar dos rumos da gestão. Advogados de todo o Brasil criticaram o fato de o atual presidente da OAB Nacional utilizar o cargo como plataforma política partidária, distanciando a instituição do seu objetivo, que é trabalhar pelo fortalecimento da advocacia. 

 

Felipe Santa Cruz não vai concorrer à reeleição e já se apresentou como pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro para as eleições que acontecem em 2022. Luiz Viana sempre defendeu que, para atuar na política partidária, o atual presidente deveria se desvincular do cargo, para não confundir os papéis.

Link curto: https://bit.ly/3nIJ1od

TÓPICOS:
Bahia

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu