Esporte

Instasfeita, CBF pretende fazer mudanças na Comissão de Arbitragem

A Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deve sofrer mudanças

Rastro101
Com informações do Bahia Notícias

11/11/2021 por Redação

Divulgação/Bahia NotíciasDivulgação/Bahia Notícias A Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) deve sofrer mudanças. De acordo com informações do site ge.globo, o presidente interino da entidade, o baiano Ednaldo Rodrigues, está coordenando um projeto para reestruturar o órgão, por causa das recentes reclamações durante o Brasileirão 2021. 

 

A Comissão é comandada pelo ex-árbitro Leonardo Gaciba desde 2019 e, desde então, os erros vêm se acumulando, mesmo com o auxílio do árbitro de vídeo (VAR). Na visão de Ednaldo, segundo o ge, a arbitragem está deixando a desejar, mesmo com o alto investimento da CBF. 

 

Utilizado no Brasileirão desde 2018, o VAR tem gerado inúmeras reclamações de clubes e dirigentes. Na última semana, o Bahia fez duas representações contra decisões de arbitragem na CBF (confira aqui e aqui). O Flamengo também ficou na bronca após o jogo contra a Chapecoense (veja aqui). 

 

A publicação aponta que Ednaldo, que substitui Rogério Caboclo, afastado da presidência da CBF por 21 meses após denúncias de assédio moral e sexual feitas por uma funcionária (lembre aqui), tem comentado com pessoas próximas que há uma falta de critério nas decisões dos donos do apito nesta temporada. 

 

O cargo de Leonardo Gaciba, inclusive, pode sofrer uma alteração. Isso passaria por descentralizar o poder nas mãos do ex-árbitro e compartilhar as decisões com outros integrantes da Comissão de Arbitragem. 

 

O presidente interino avalia que, após os erros, os árbitros deveriam passar por uma reciclagem antes de serem colocados novamente na escala de jogos. Atualmente, isso não acontece. 

 

Recentemente, em entrevista ao Bahia Notícias, Ednaldo comentou sobre o assunto. "A CBF tem investido quantias vultuosas para deixar a arbitragem transparente e livre de qualquer equívoco. Avançamos na Série B. Após os clubes terem reivindicado a colocação de duas câmeras, a CBF absorveu todos os custos dessas demandas. Colocamos o VAR na Série C e na Série D, na fase final das competições. O VAR veio para ficar. E a gente, cada vez mais, está procurando que a comissão de arbitragem faça cursos, e que possa qualificar cada vez mais os árbitros envolvidos, e possamos dar publicidade disso", pontou, à época (relembre aqui). 

 

Pela Série B, o Guarani reclamou recentemente da arbitragem. Durante o empate com o Vila Nova, por 2 a 2, no último domingo (7), o VAR não funcionou e a assistente Maíra Mastella Moreira assinalou impedimento no gol que daria a vitória ao Bugre. 

 

O clube pediu a anulação da partida, mas o presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Otávio Noronha, rejeitou o pedido. 

 

Pela Central do Apito, núcleo da TV Globo que analisa os lances polêmicos, a comentarista Janette Mara Arcanjo considerou o gol legal. "Pela imagem que nós vimos, eu tive a sensação de que o Moacir (lateral-direito do Vila Nova) dava condição no momento do passe", disse. 

Link curto: https://bit.ly/3FbwdfB

TÓPICOS:
Bahia

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu