Esporte

TJ-BA ganha prêmio de Inovação Judiciário Exponencial por criar Labjus

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) ganhou o 1º Lugar no Prêmio de Inovação Judiciário Exponencial - 2021, na categoria Laboratórios de Inovação

Rastro101
Com informações do Bahia Notícias

08/10/2021 por Redação

Divulgação/Bahia NotíciasDivulgação/Bahia Notícias O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) ganhou o 1º Lugar no Prêmio de Inovação Judiciário Exponencial - 2021, na categoria Laboratórios de Inovação. O projeto que levou o tribunal baiano a essa conquista foi o robô que automatiza minutas de Execução Fiscal no PJe, criado pelo Laboratório de Inovação e Inteligência (LabJus).

 

"Esse prêmio coroa o trabalho sério e dedicado que o time do LabJus vem desenvolvendo ao longo de pouco mais de um ano de sua criação. O Presidente, Desembargador Lourival Almeida Trindade, no seu discurso de posse, apontou os desafios e objetivos da gestão e, dentre eles, estava o de inovação tecnológica", destacou o Luis Augusto Bahiense Cardoso, Secretário de Tecnologia da Informação e Modernização (Setim).

 

A premiação Judiciário Exponencial tem como objetivo reconhecer e incentivar as iniciativas e projetos inovadores nos setores tecnológicos, de gestão e de novas metodologias no âmbito do ecossistema de justiça, assim como as soluções criadas para o enfrentamento da crise causada pela pandemia declarada no ano de 2020, decorrente da disseminação da Covid-19.

 

O robô, que automatiza minutas de Execução Fiscal no PJe, funciona da seguinte forma: no instante em que é juntada uma petição classificada com um dos tipos configurados, o processo é destacado numa tarefa específica, que fica disponível ao gabinete, já com as respectivas minutas e movimentações prontas para revisão e assinatura do magistrado, que, por sua vez, pode fazê-lo individualmente ou em lote através de um computador ou até do seu smartphone, por meio do aplicativo PJE Mobile.

 

A ferramenta elimina, ao menos, quatro etapas trabalhosas dos cartórios e gabinetes, liberando os magistrados e servidores para se concentrarem em pedidos mais complexos, além de reduzir a taxa de congestionamento da vara, ao possibilitar o julgamento dos processos de forma muito mais rápida. Será possível julgar em poucos minutos processos que levariam dias para serem encontrados, analisados e preparados, para só então ter a sentença.

 

"O desafio do Labjus agora, dentro da Comissão de Apoio às Varas de Fazenda Pública, é apresentar uma solução de inteligência artificial que passe a decidir, a partir do ingresso dos processos, qual o fluxo deve ser seguido, independente da classificação prévia, o que permitirá um avanço ainda maior na solução atual", explicou o Secretário Luis Augusto Bahiense.

 

O robô é uma iniciativa da desembargadora Lourdes Medauar, presidente do Grupo de Apoio das Varas da Fazenda Pública do TJ-BA, que tem apresentado desafios a serem solucionados pelo LabJus. A equipe do laboratório tem se debruçado nesses temas e estudado soluções de Inteligência Artificial que promovam a melhoria do fluxo processual, com foco no ganho de produtividade e eliminação de tarefas repetitivas por meio da automatização de fluxos.

Link curto: https://bit.ly/3al8koQ

TÓPICOS:
Bahia

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu