Cidadania

Veracel avalia novas possibilidades de reciclagem de resíduos para geração de energia limpa

Companhia, que já é autossuficiente energeticamente, estuda novos materiais que podem ser reciclados e transformados em fonte de energia limpa

Assessoria de Comunicação
Veracel Celulose

06/10/2021 por Redação, atualizado em 06/10/2021 às 10h34 por Redação

Imagem aérea da caldeira de força da Veracel (Foto divulgação)Imagem aérea da caldeira de força da Veracel (Foto divulgação)Tendo a sustentabilidade como premissa de seu negócio, a Veracel, empresa de celulose localizada na região Sul da Bahia, além de ser autossuficiente energeticamente em sua produção industrial, tem como segunda fonte de receita a oferta de energia limpa para outras empresas da região. Com uma operação consolidada de reciclagem de resíduos - são utilizados materiais da própria produção de celulose, caroço de açaí e bagaço de cana de açúcar - a companhia agora estuda novas fontes, como fibra do coco e cascas de cupuaçu, tanto para manter sua produção energética quanto para ampliar a reciclagem de passivos ambientais.

Em 2020, a Veracel produziu aproximadamente 919.873 MWh/ano de energia, sendo que 603.811 MWh/ano foram para consumo próprio e 89.352 MWh/ano foram exportados para a rede, um total que equivale ao consumo de 178.704 habitantes. Para o processo, a companhia utiliza resíduos da própria produção de celulose e outros materiais que seriam descartados como biomassa para a queima nas caldeiras da empresa.

*** TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ***
"A cada ano que passa, a Veracel se torna mais eficiente quanto à utilização de toda sua produção de madeira para a celulose, isso nos dá a oportunidade de intensificar nossos estudos em novas possibilidades de materiais que podem ser transformados em energia, contribuindo tanto para o negócio da companhia quanto para o meio ambiente", explica Estanislau Victor Zutautas, gerente de Recuperação de Utilidades da Veracel. "Já tivemos resultados bastante positivos no uso de caroço de açaí, cascas de cupuaçu e vimos potencial quanto ao uso das fibras das cascas do coco como biomassa para geração de energia limpa. Continuaremos estudando novas alternativas que possam contribuir para a matriz energética da empresa. Sabemos que o uso desses passivos ambientais vai além da compatibilidade de queima em nossa caldeira e depende muito de safras, do desenvolvimento de produtores locais, questões logísticas e do foco nos materiais que são mais descartados na região, por isso também estamos atentos às características econômicas do Sul da Bahia para o projeto", complementa o gerente.

Atualmente, a companhia já gera energia limpa com sucesso a partir de: cascas e toda a madeira que não é aproveitada no processo de produção de celulose; resíduos das peneiras de seleção da produção; fibras retiradas da água do tratamento de efluentes; e materiais alternativos à produção de celulose, como caroço de açaí e bagaço da cana de açúcar, que são comprados pela Veracel de produtores locais.

"A ampliação do uso como biomassa, para geração de energia, de resíduos que são gerados em abundância na região em que a Veracel opera é o exemplo ideal de como as indústrias podem minimizar os impactos de sua operação sobre o meio ambiente e ainda ampliar as formas de contribuir para que outros passivos ambientais não sejam descartados, reduzindo a geração de lixo e contribuindo efetivamente para uma economia sustentável", afirma Estanislau.

Link curto: https://bit.ly/3li4anY

TÓPICOS:
Veracel

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu