Geral

Policlínica municipal será desativada e dará lugar a novo equipamento

Novo centro de saúde oferecerá atendimento médico de média complexidade, diz secretária de Saúde

Radar64
06/10/2021 por RADAR64

Divulgação/Radar64Divulgação/Radar64

A população de Eunápolis ganhará, nos próximos meses, um novo equipamento de saúde, que ocupará o prédio onde funcionava a antiga policlínica municipal. A informação foi dada pela secretária municipal de Saúde, Anara Sartório, em entrevista ao RADAR 64.


Segundo ela, a prefeita Cordélia Torres está preparando uma surpresa para a população, por isso não são revelados outros detalhes sobre o projeto. O que Anara adianta, por enquanto, é que o novo equipamento prestará serviços de média complexidade, ou seja, o nível intermediário que interliga a atenção básica aos serviços hospitalares. “Posso dizer que não vai ser um centro de especialidades apenas para consultas, como era a policlínica municipal. Faremos um projeto um pouco maior, para atender inclusive essa demanda que acabou de nascer, que é a síndrome pós-covid”, explica.


A previsão é de que o novo equipamento comece a funcionar dentro de aproximadamente 60 dias, tempo necessário para a adaptar o prédio onde funcionava a antiga policlínica municipal às necessidades do novo projeto.


Novo equipamento deve começar a funcionar em aproximadamente 60 dias


A secretária destaca que os serviços ofertados na antiga policlínica municipal serão transferidos integralmente para a policlínica regional, já em funcionamento desde junho. Além das consultas em especialidades médicas, também os serviços prestados pelas clínicas particulares conveniados com a prefeitura – a maior parte exames de imagem, como ressonância, tomografia e raio-x – estão sendo transferidos para a policlínica regional.


DESATIVAÇÃO JÁ ESTAVA PREVISTA – A desativação do serviço municipal já estava prevista desde que Eunápolis decidiu aderir ao rateio do consórcio regional, ressalta a secretária. Conforme ela, o município optou por manter a policlínica municipal funcionando durante esses meses para que o equipamento regional se adaptasse ao início de funcionamento e não houvesse prejuízo à população, mesmo sendo mais oneroso à prefeitura.


Desativação do serviço estava prevista desde que Eunápolis aderiu ao rateio da Policlínica Regional


“A proposta do fechamento da policlínica municipal se deu em junho, quando aderimos ao rateio e já batemos o martelo que seria desativada, porque não haveria sentido manter as duas policlínicas. Tínhamos que ter feito em junho, mas se fizéssemos isso naquela época, não conseguiríamos atender a demanda represada de quase 19 mil exames nesse período, mesmo onerando o orçamento”, pondera, acrescentando que, nessa fase de adaptação da policlínica regional, o município teve um custo três vezes maior.


A secretária de Saúde considera que esse período entre 90 e 100 dias foi tempo suficiente para a adaptação da policlínica regional. “Não temos mais como manter o custo, porque precisamos seguir o cronograma para dar andamento nessa próxima etapa, que é a ocupação do prédio da antiga policlínica municipal”, afirma.


ATENDIMENTO AINDA NÃO ESTÁ 100% – Anara observa que somente a policlínica regional não consegue dar conta de tanta demanda, pois ainda não está atendendo plenamente e permanecem algumas inconsistências. Entre elas, a secretária cita dificuldades com exames como ressonância e tomografia, além de demora nos laudos de exames de raio-x. Também há falta de médicos em algumas especialidades. No entanto, ela garante que tem mantido um bom diálogo com a direção da policlínica regional e que está tudo encaminhado para que o equipamento funcione em sua totalidade, pois é preciso que o atendimento seja 100% do que foi ofertado.


Anara diz que Policlínica Regional ainda não está atendendo plenamente


Outro ajuste necessário diz respeito aos exames clínicos e laboratoriais, que não estão sendo feitos na policlínica regional e são um ônus que fica para o município, mesmo Eunápolis pagando o rateio.


SERVIDORES – Com relação aos servidores que trabalhavam na policlínica municipal, a prefeitura assegura que não haverá prejuízo para nenhum profissional. Dos 21 médicos que atuavam na policlínica municipal, cinco deles foram cedidos pelo município e passaram a prestar serviços para a policlínica regional. “Os demais irão atender de forma descentralizada nas unidades básicas de saúde, porque a intenção é que esses serviços fiquem mais próximos da comunidade”, adianta.


IMPACTO AINDA ESTÁ SENDO AVALIADO – A secretária pondera que o município de Eunápolis já oferecia muitos dos serviços atualmente prestados pela policlínica regional, por isso não vê um impacto significativo no sistema de saúde do município até agora. Ela diz que somente daqui a 60 dias terá uma avaliação mais precisa do que representou a adesão do município ao rateio da policlínica.


Mas já adiantou que o custo com saúde aumentou para a prefeitura, ao invés de reduzir, como era previsto depois que o município aderisse ao consórcio. Conforme Anara, outros municípios da região também estão enfrentando esse aumento de despesas.


Link curto: https://bit.ly/3AgNgKC

TÓPICOS:
Radar64

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

menu