Geral

Para baratear gás de cozinha, Bolsonaro quer venda direta ao consumidor

Presidente sugere zerar imposto estadual e extinguir valores repassados às distribuidoras por meio da venda direta do gás de cozinha para diminuir preço atual pela metade

Rastro101
Com informações do site O Tempo

29/09/2021 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O TempoAtribuindo a alta do preço do gás de cozinha aos governadores, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), defendeu a venda direta do gás de cozinha aos consumidores para tentar diminuir o preço atual pela metade. Dessa forma, seriam extintos os valores repassados às distribuidoras. O presidente também sugeriu que estados zerem a taxa do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do gás. 

 “O preço do gás, lá onde ele é engarrafado, está na casa dos R$ 50. Não justifica, na ponta da linha, estar custando R$ 130”, declarou Bolsonaro durante evento realizado em Boa Vista (RR) nesta quarta-feira (29).

O chefe do Executivo federal novamente criticou os governadores e insinuou que eles não querem diminuir o ICMS, um imposto estadual. No discurso, Bolsonaro lembrou que os governadores Wilson Lima, do Amazonas, e Antônio Denarium, de Roraima, decidiram reduzir as taxas cobradas no gás de cozinha. 

Em 15 de setembro, Denarium anunciou que reduziria o ICMS sob o gás de cozinha de 17% para 12%. Mas foi além depois da aprovação do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) e prometeu zerar o imposto. 

“No início desse ano eu zerei os impostos federais no gás de cozinha. A mesma coisa vem fazendo o governador Wilson, do estado do Amazonas. Zerando o imposto federal, zerando o estadual, esses dois estados, Roraima e Amazonas, poderão buscar a compra direta do gás de cozinha”, disse Bolsonaro. Com essa possível venda direta do gás de cozinha, ele vai cair pela metade do preço, completou.

 

Link curto: https://bit.ly/3il3M65

TÓPICOS:
Inflação

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu