Geral

Defesa de Bolsonaro e Michele consegue acesso a depoimentos de Mauro Lourena Cid, Crivelatti e Wassef em inquérito de venda ile

G1 - com informações do G1

Rastro101
Com informações do G1

20/09/2023 por Redação

Advogados de ex-presidente afirmam, no entanto, que conteúdo não preocupa e recorre a Plenário do STF por depoimento de Mauro Barbosa Cid, que foi ajudante de ordens do ex-presidente. Caso das joias: Jair Bolsonaro, Michelle Bolsonaro, Fabio Wajngarten, Marcelo Câmara e Osmar Crivelatti adotam silêncio; Coronel Mauro Cid, Mauro Lourena Cid, Frederick Wassef falam à PF
Reprodução/ GloboNews
A defesa do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro disse ter obtido acesso nesta semana ao conteúdo dos depoimentos prestados no dia 31 de agosto à Polícia Federal pelo general Mauro Lourena Cid, Osmar Crivelatti e Frederick Wassef no inquérito que apura a venda ilegal de joias recebidas por comitivas do governo Bolsonaro durante viagens oficiais.
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou, no entanto, acesso da defesa ao depoimento dado no mesmo dia pelo tenente-coronel Mauro Cid, e por isso foi feito um novo recurso para que o pedido seja analisado pelo Plenário da Corte.
A equipe de advogados do ex-presidente avalia que o conteúdo dos depoimentos aos quais tiveram acesso não preocupam e não modificam a estratégia adotada até o momento.
A defesa afirma também não ter requisitado ao STF, até o momento, acesso ao conteúdo da delação celebrada por Mauro Cid com a Polícia Federal e homologada pelo ministro Moraes no começo de setembro.
Direito à ampla defesa e ao contraditório
Nos pedidos apresentados ao STF, a defesa do casal Bolsonaro argumenta que o acesso à integra da investigação – inclusive ao depoimento de Cid – é necessário para garantir o direito à ampla defesa e ao contraditório.
O depoimento de Cid e dos demais investigados no caso das joias aconteceu em 31 de agosto, e o tenente-coronel firmou acordo de colaboração premiada em 9 de setembro.
Outros pedidos
Além do ex-presidente Jair Bolsonaro e da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro, as defesas de Marcelo Câmara, assessor especial de Bolsonaro, e o advogado Fabio Wajngarten, ex-chefe da comunicação do governo Bolsonaro, também pediram acesso aos depoimentos de Mauro Cid, Mauro Lourena Cid e Wassef. Mas, no caso de Câmara e de Wajngarten, ainda não houve manifestação do STF.
Caso das joias: Bolsonaro e Michelle ficam calados em depoimento à PF
Depoimentos
O casal Jair e Michelle Bolsonaro faz parte da lista de oito citados no inquérito das joias que foram convocados pela PF a depor. Além deles, foram intimados:
Mauro Cid: ex-ajudante de ordens de Bolsonaro
Mauro Lourena Cid: pai de Cid, general da reserva que foi colega de Bolsonaro na Aman
Frederick Wassef: advogado de Bolsonaro
Fabio Wajngarten: ex-chefe da comunicação do governo Bolsonaro
Marcelo Câmara: ex-assessor especial de Bolsonaro
Osmar Crivelatti: ex-assessor de Bolsonaro
As defesas de Bolsonaro, Michelle, Wajngarten e Câmara informaram antes dos depoimentos que eles ficariam em silêncio. Em nota, os defensores dos quatro disseram que tomaram essa decisão por julgarem que o Supremo Tribunal Federal (STF) não é a instância adequada para a investigação.

Link curto:

TÓPICOS:
G1

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu