Geral

Colombianos vão às urnas para eleger novo presidente

As últimas pesquisas eleitorais apontavam para um segundo turno, com o candidato à esquerda, Gustavo Petro, liderando as intenções de voto

Rastro101
Com informações do site O Tempo

29/05/2022 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O Tempo O dia de eleição em Bogotá iniciou com chuva, o que fez os eleitores colombianos começarem a se dirigir às urnas com mais intensidade a partir das 9h deste domingo (29), quando o aguaceiro já dava sinais de que ia passar. No fim da manhã já era possível encontrar filas nos locais de votação da capital.

No pleito que definirá quem será o próximo presidente da Colômbia, uma das pesquisas mais recentes, do instituto Invamer, mostrava o esquerdista Gustavo Petro à frente no primeiro turno, com 40,6%. Se a previsão se confirmar, ele disputará a segunda volta com um adversário ainda incerto, já que a sondagem tinha o direitista Federico Fico Gutiérrez com 27,1% e o populista Rodolfo Hernández com 20,9%.

Apesar da diferença, sondagens extra-oficiais, encomendadas pelos partidos, sugeriam um crescimento rápido de Hernández e uma tendência de piora para Fico. Ainda assim, os dados não indicavam um cenário definido, já que o número de indecisos gira em torno de 15% e o voto no país não é obrigatório.

A tendência de um voto por mudança é a marca dessa eleição. A mudança até aqui era Petro, mas pode virar Hernández, afirmou Paola Montilla Niño, da Universidad Externado de Colômbia.

Uma das fatias do eleitorado que atraem a atenção são os jovens, protagonistas dos atos antigoverno de 2021. Analistas indicam que eles devem comparecer em maior número neste domingo, e, nos arredores de um centro de votação no norte de Bogotá, era possível ver vários deles, chegando em geral em grupos.

A Colômbia não pode seguir com o mesmo tipo de governo para sempre. Só saí para votar porque quero mudança. E se ela não vier pelas urnas, temos de voltar às ruas, disse Juan Camilo Pulido, 20. Junto a ele, Valentina Cortés, 19, disse não confiar muito no sistema de votação. Não sei se a mudança vem por aí, precisamos pensar novas formas de democracia e de exercer nossa cidadania. Mas vim pela mudança.
Para Mateo Ortiz, do Observatório Juvenil da Universidade Javeriana, apesar de haver certa desconfiança no sistema de votação e enorme desconfiança em relação ao governo, os jovens devem sair para votar de modo mais numeroso nessa eleição. E creio que farão a diferença, afirmou ele.

Já noutro local de votação, no norte de Bogotá, Marisela Robledo, 58, afirmou ter medo de uma mudança radical. Não quero incertezas, não quero uma Colômbia que se pareça cada vez mais com a Venezuela. Nós vemos o impacto do que está acontecendo com esse monte de imigrantes que chegam aqui perdidos, recomeçando a vida do zero. Não vejo por que correr riscos, afirmou, indicando que não votará em Petro, que pode se tornar o primeiro nome de esquerda a assumir a Presidência do país.
Fico é o candidato que tem o apoio do atual presidente, de Iván Duque, que deve deixar o cargo com mais de 70% de rejeição. Petro, o favorito a sucedê-lo, postou nas redes sociais logo cedo a imagem de uma carta de próprio punho para o povo colombiano. Hoje confio em meu povo. É a hora da confiança, da convivência e da vontade de mudança. É hora de concretizar nossos sonhos, escreveu.

Ao chegar ao centro de votação, o esquerdista teve de voltar para casa porque esqueceu a carteira de identidade. Por fim, acabou votando por volta das 10h30. Já Fico votou em Medellín, acompanhado da família. A Colômbia é uma grande família e como família vamos resolver nossos problemas unidos.

O ex-prefeito de Bucaramanga, Rodolfo Hernández, ao ser questionado por jornalistas sobre o que faria depois de votar, disse: Voltar para minha casa e dormir. A frase combina com o perfil populista do candidato, de frases curtas de efeito, vídeos no TikTok e estilo extravagante -chegou a dar uma entrevista à CNN de pijama. Depois, completou com uma aspa mais usual.

Não deixemos que pessoas que se recusam a votar nos impeçam de mudar a Colômbia. Estimulem seus familiares e amigos a virem votar.

No fim da manhã, havia filas em vários centros de votação, mas ainda não havia sido divulgado nenhum dado sobre comparecimento parcial. O padrão eleitoral colombiano é de 38 milhões de eleitores. (Folhapress)

Link curto: https://bit.ly/3z4jMCy

TÓPICOS:
América Latina

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101

cachedMais notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

menu