Geral

Presidente do Sindec fala sobre a polêmica de supermercado querer abrir aos domingos: Colaboradores do Mix Mateus reivindicam d

Cidades - com informações do LiberdadeNews

Rastro101
Com informações do LiberdadeNews

29/04/2022 por Redação

/

Teixeira de Freitas: A equipe de Jornalismo da Rádio Eldorado e Jornal Liberdade conversou com Geovane dos Santos, o Gil do Sindec, presidente do Sindicato dos Trabalhadores, a respeito da polêmica sobre abrir ou não abrir os supermercados aos domingos. Gil disse que a decisão sobre o não funcionamento dos supermercados aos domingos foi tomada coletivamente, entre o Sindicato Laboral e o Sindicato Patronal. “Conforme Convenção Coletiva, em Teixeira de Freitas os supermercados não podem funcionar aos domingos, utilizando mão de obra dos funcionários. Quando se trata de pequenos supermercados de bairros, que funcionam só com a família (o esposo, a esposa, o filho), esse ai pode funcionar normalmente”, explicou.

Segundo Gil, o Sindec tem feito fiscalizações e vem acionando a Justiça do Trabalho, inclusive já tem alguns estabelecimentos que estão respondendo processo por estar descumprindo a convenção. Em relação aos colaboradores do Mix Mateus, que querem trabalhar aos domingos, o Gil relatou que os diretores do Mix Mateus participaram das negociações do Sindicato Patronal e Laboral. “Tivemos um embate com os trabalhadores, colocando para eles essa situação. Alguns trabalhadores reivindicam a abertura, com medo de perder seus postos de trabalho. Nós explicamos que estamos dialogando com o jurídico do Mix Mateus, do Sindicato Laboral e Patronal, para que possamos chegar a um bom senso.”

“O Sindec luta pela organização no trabalho, para garantir os direitos dos trabalhadores, lutar em prol de benefícios para eles. O Sindec tem essa bandeira, só que a gente trabalha com equilíbrio, e a nossa luta não é para fechar empresas, e nem demitir trabalhador, a gente luta por um equilíbrio, a qual as ambas as partes saem ganhando. O Mix Mateus antes de vir para Teixeira, eles fizeram um estudo na cidade, 05 (cinco) anos atrás, e eles já sabiam que tem uma cultura em Teixeira de não funcionar aos domingos. A Convenção assinada pelas entidades de classe tem o poder de lei, se eles abrirem nós podemos entrar com uma ação na justiça e cobrar as penalidades que estão na convenção”.

/

Um grupo de colaboradores do Mix Mateus também procurou nossa reportagem, com o objetivo de informar suas demandas em relação ao posicionamento do Sindec, em relação ao não funcionamento do Mix Mateus aos Domingos. Os colaboradores conversaram com o Radialista e Jornalista, Edvaldo Alves, e relataram suas preocupações. “Somos todos de Teixeira de Freitas. Somos 314 colabores efetivados, fora os temporários, diaristas, jovens aprendiz, que não entram nessa remessa. “O Grupo Mateus veio com toda estrutura para abrir aos domingos, e é claro se continuarmos fechados, possa ser que a estrutura não comporte, mas, nunca fomos ameaçados. O que foi comentado pelo Sindec, não procede”, explicou a colaboradora Amanda Novais.

“A empresa investiu nos colaboradores, fomos para fora do estado para receber treinamentos específicos. Ficamos um tempo lá, em Juazeiro, Petrolina, Pernambuco. Tivemos todo esse treinamento, e todas as lojas do Mateus Mix abrem aos domingos. Queremos trabalhar, essa é a verdade. Há uma possibilidade de desemprego, e queremos trabalhar aos domingos. Vamos trabalhar por escala, e nenhum direito será violado ou tirado de nossos colaboradores, inclusive teremos folgas durante as semanas, que hoje a gente não consegue. Apelamos ao Sindicato, que nos ouça, e nos dê a oportunidade de ter esse acordo individual. É a única coisa que nós queremos. Ajude-nos”, finalizou Amanda.

O colaborador Joaquim Souza falou que quando se fala em 314 colaboradores (funcionários direto do Mix Mateus), se fala de 314 famílias. “Estamos falando de 1.200 (hum mil e duzentas) pessoas que dependem deste emprego, então, quando estamos falando em abri aos domingos, eu olho para o Sindicato como ele estivesse tratando uma cidade com 5.000 (cinco mil) habitantes. Teixeira parou no tempo com o olhar do Sindicato. A cidade hoje tem quase 200.000 (duzentos mil) habitantes. Uma cidade conhecida como a princesinha do extremo sul, onde todos querem investir na cidade, mas, quando encontra esse impasse, traz essas dificuldades”, explicou o colaborador Joaquim Souza.

/

“Nós estamos próximo dos estados de Minas Gerais e Espirito Santo. São 03 (três) estados muito próximos. Qualquer cidade em Minas Gerais trabalha no domingo. Assim como o Espirito Santo. As pessoas vêm a Teixeira de Freitas, comprar aos domingos e se decepcionam, porque o Sindicato está tratando a cidade, como uma cidade pequena. A cidade no passado era pequena, hoje estamos evoluindo, onde todos querem investir aqui. O Sindicato só trava o desenvolvimento, e trava trazendo desemprego. Aí, as pessoas não conseguem emprego e vão para outras cidades que abrem aos domingos”, finalizou.

O colaborador Mateus Souza, falou que o Mix Mateus está querendo um acordo individual, e é uma coisa que não impossibilita os outros supermercados que não querem abrir aos domingos. Se não quer abrir aos domingos, tranquilo, não abra. É o direito deles, agora nós queremos trabalhar aos domingos. Vamos ter a nossa carga horária normal, vamos ter a nossa folga dentro da normalidade. Não vamos perder nenhum benefício, simplesmente queremos nosso acordo individual, nós queremos trabalhar, nós queremos abrir, é a liberdade de poder abrir. Nós queremos trabalhar, estamos tendo essa oportunidade, e não podemos avançar pela burocracia do sindicato. Perde o sentido, não tem lógica”.

/

Por: Lenio Cidreira/Liberdadenews

Link curto: https://bit.ly/3Lu1NJa

TÓPICOS:
Bahia

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu