Geral

Imóveis rurais sofreram 104,6 furtos e roubos por dia em 2021

Em tendência de alta há dois anos, só os furtos de bovinos foram responsáveis por 1.311 ocorrências

Rastro101
Com informações do site O Tempo

14/02/2022 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O TempoEm 2021, 38,2 mil ocorrências policiais foram registradas em imóveis rurais em Minas – desde 2019, foram quase 117 mil registros, segundo a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Em uma leve tendência de alta há dois anos, só os furtos de rebanho bovino foram responsáveis por 1.311 ocorrências no ano passado. 

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) e a Polícia Civil não têm estimativas da dimensão do prejuízo que os crimes impõem anualmente aos produtores rurais. Mas a pujança do setor agropecuário no Estado dá uma dimensão da atração que exerce junto aos criminosos: a produção superou R$ 120 bilhões no último ano, de acordo com a Faemg. 

O delegado Fabrício Altemar, responsável pela delegacia de Frutal, uma das três unidades inauguradas no interior mineiro no ano passado, a reboque do crescimento da criminalidade local, afirma que os roubos são da ordem de milhares de reais.

A alta do preço do maquinário agrícola, do gado e de insumos os tornou uma moeda forte na mão de bandidos. Em dezembro, por exemplo, houve uma ocorrência de furto de 42 bezerros na cidade de Comendador Gomes. Um prejuízo de cerca de R$ 120 mil ao produtor. Hoje, um trator seminovo custa R$ 150 mil”, diz. 

Com a soma de prejuízos de pequenos a grandes produtores rurais no interior do Estado, a Polícia Civil inaugurou, além desta, mais duas delegacias especializadas em 2021 e avalia a necessidade de implantar outras unidades. 

Em Belo Horizonte, a Delegacia Especializada de Investigação em Crimes Rurais atende todo o Estado em ocorrências de maior vulto. Em 2021, três unidades com o mesmo foco foram inauguradas no Triângulo Mineiro – em Frutal, Uberaba e Uberlândia.

 

Sofisticação

O presidente do Sindicato Rural de Frutal, Nivaldo Pacheco, trabalha no campo há 40 anos e atesta que os crimes se sofisticaram e, hoje, incluem falsificação de notas fiscais para a revenda de gado e maquinário roubados: “Infelizmente, já passei por furtos. Você chega à propriedade, os animais desapareceram, e não se conseguem pistas. Os insumos usados na agricultura são caríssimos, e os bandidos encontram receptadores para eles’. 

O delegado Fabrício Altemar explica que os furtos – sem abordagem à vítima – são mais comuns do que os roubos na região. Em propriedades onde não há caseiros, por exemplo, os criminosos atuam à noite para levar gado em caminhões.

 

Geografia facilita ação de criminosos

As três delegacias especializadas em crimes rurais inauguradas pela Polícia Civil em 2021 estão no Triângulo Mineiro. Só em Frutal, foram 650 ocorrências no último ano. E não se restringem a roubo de gado e maquinário, de acordo com o delegado Fabrício Altemar. Os criminosos também furtaram objetos domésticos. 

A gerente técnica do Sistema Faemg Aline Veloso acredita que a efervescência do agronegócio na região, localizada na divisa com outros Estados, facilita a ação dos criminosos. “A região é muitas vezes mais plana, com propriedades médias ou grandes, com um agronegócio forte”. Uma das rotas usadas pelos criminosos é rumo ao Centro-Oeste, para Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, segundo o delegado. 

 

Cuidados no dia a dia facilitam apuração

Cercas, alarmes e câmeras ainda são os itens básicos de segurança que os proprietários rurais utilizam. Mas, de acordo com o delegado Fabrício Altemar, há cuidados no dia a dia que podem facilitar uma eventual investigação criminal.

“Uma dica que damos é que, se o produtor vir um carro ou motocicleta que não costuma passar pela área, o que não é comum na região, anote a placa, o dia e a hora e guarde essa anotação. Se houver crime, a polícia terá meios de verificar isso”, aconselha. Outra alternativa, pontua, é a instalação de chips de localização no gado e no maquinário quando possível.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais (Faemg) orienta o proprietário rural a sempre fazer o boletim de ocorrência. “É necessário registrar com o máximo de informações”, conclui a gerente técnica do Sistema Faemg Aline Veloso. 

A Faemg lançou uma cartilha de prevenção contra crimes no campo, com ênfase em cuidados simples, como reforço da iluminação da casa. Muros fechados ou mata que retire a visibilidade do imóvel também devem ser evitados.

 

Link curto: https://bit.ly/3oIzwVW

TÓPICOS:
Crimes No Campo

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101

cachedMais notícias

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

menu