Geral

Quebec, província no Canadá, vai cobrar imposto de R$ 400 para não vacinados

Restrições na venda de álcool e maconha a não vacinados também já foram anunciadas

Rastro101
Com informações do site O Tempo

12/01/2022 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O TempoA província canadense de Quebec, paralisada pela propagação da variante ômicron, vai criar nas próximas semanas um novo imposto sanitário para quem não está vacinado contra a Covid-19. Estamos trabalhando em uma contribuição de saúde para todos os adultos que se recusam a ser vacinados, pois eles representam um fardo financeiro para todos os quebequenses, disse o primeiro-ministro de Quebec, François Legault.

A cifra não deve ficar abaixo de 100 dólares canadenses (R$ 444). A sustentabilidade jurídica da medida, no entanto, irá depender dos detalhes do texto, ainda que tal taxa possa ser justificada no contexto de um agravamento da pandemia. A proposta, ainda em processo de finalização, não se aplicaria a quem não pode receber o imunizante por razões médicas. 

 

Para Legault, os 10% dos habitantes da província que ainda não receberam uma dose do imunizante não devem prejudicar os 90% que já se vacinaram. Não cabe a todos os quebequenses pagar por isso, afirmou durante uma coletiva de imprensa, e especificou que o governo da província quer que o imposto represente uma quantidade significativa.

Sinto certo descontentamento com a minoria não vacinada que, considerando tudo, obstrui nossos hospitais, acrescentou. O primeiro-ministro de Quebec explicou que esses 10% de adultos não vacinados representam 50% das pessoas em unidades de terapia intensiva, situação que descreveu como chocante.

Em uma tentativa de conter a nova onda, Quebec anunciou em 30 de dezembro o retorno de algumas restrições, incluindo um toque de recolher às 22h e a proibição de reuniões privadas. No total, 2.742 pessoas com Covid estão hospitalizadas e cerca de 255 pessoas estão em terapia intensiva em Quebec, que tem cerca de 8 milhões de habitantes.

As hospitalizações também continuam a aumentar na província vizinha de Ontário, a mais populosa do Canadá, com 3.220 pessoas internadas e 477 em terapia intensiva.

Maconha e bebida

 A província de Québec, segundo o jornal Folha de SP, registrou um aumento de 300% na procura por vacinas contra a Covid-19 depois de determinar que só os imunizados poderão comprar bebidas alcoólicas ou maconha. A restrição foi anunciada pelo ministro da Saúde local, Christian Dubé, na semana passada e só começa a valer na próxima terça-feira (18).

Mas, segundo ele, o número de agendamentos diários para receber a primeira dose do imunizante já saltou de 1.500 para 6.000. Dubé afirmou que o obstáculo ao acesso a álcool e maconha –legalizada para uso recreativo no Canadá em 2018– não tem a intenção de irritar os não vacinados, como o presidente Emmanuel Macron declarou na semana passada sobre o projeto de passaporte vacinal na França. Segundo o ministro, seria bom incomodar os que se recusam a receber a vacina, mas seu objetivo é reduzir seu contato com a parcela da população que está imunizada, proteger o sistema de saúde e proteger os não vacinados uns dos outros.

Este é um primeiro passo que estamos dando. Se os não vacinados não estiverem satisfeitos, há uma solução muito simples: vão tomar a sua primeira dose, é fácil e de graça, disse Dubé. Se você não quer se vacinar, não saia de casa.

Link curto: https://bit.ly/3neU4Vp

TÓPICOS:
Covid

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu