Geral

Carmen Lúcia exige explicação sobre consulta de vacinação de crianças

Governo realiza sondagem eletrônica para saber opinião de brasileiros acerca da imunização do público infantil

Rastro101
Com informações do site O Tempo

31/12/2021 por Redação

Divulgação/O TempoDivulgação/O TempoA ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Carmen Lúcia deu prazo de cinco dias para o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, expliquem os motivos para realização de consulta pública sobre vacinação de crianças entre cinco e 11 anos. 

(...) sem analisar, ainda, o cabimento desta arguição e a legitimidade do arguente para atuar na espécie, objeto de análise em momento processual oportuno, adoto o rito do art. 10 da Lei n. 9.868/1999, que dispõe sobre o processo e o julgamento da ação direta de inconstitucionalidade e da ação declaratória de constitucionalidade, aplicável à arguição de descumprimento de preceito fundamental. 6. Requisitem-se, com urgência e prioridade, informações ao Presidente da República e ao Ministro da Saúde sobre o que posto na peça inicial da presente arguição, a serem prestadas no prazo máximo e improrrogável de cinco dias (art. 10 da Lei n. 9.868/1999), independente do período de recesso forense. Na sequência, manifeste-se o Advogado-Geral da União e o Procurador-Geral da República no prazo máximo de cinco dias, que correrá em comum pela forma eletrônica do processo. Ultrapassado os prazos e com ou sem manifestação no prazo exato declinado, retornem-me os autos com urgência e prioridade, independente do período de recesso forense. Publique-se (...).

A decisão de Carmen Lúcia é em Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) número 929 feita pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos. 

Segundo a inicial, a Confederação considera irresponsável adiar a vacinação de crianças após autorização da Anvisa. Portanto, se mostra absurda, leviana e irresponsável adiar a vacinação das crianças e dos adolescentes sob o argumento de ser necessário consultar antes a população a respeito, dizem em trecho da inicial. 

A Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos pede ainda que o STF determine vacinação obrigatória para faixa etária de cinco a 11 anos. 

O governo federal realiza uma sondagem eletrônica para saber a opinião de brasileiros sobre vacinação de crianças desta faixa etária. 

O presidente da República, Jair Bolsonaro, disse a apoiadores no dia 19 de dezembro considerar inacreditável a liberação de vacinação para crianças feita epelo órgão responsável. Dias depois, Bolsonaro afirmou que sua filha de 11 anos, Laura, não será vacinada. 

O TEMPO agora está em Brasília. Acesse a capa especial da capital federal para acompanhar o noticiário dos Três Poderes.

Link curto: https://bit.ly/3EGHeoz

TÓPICOS:
Justiça

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu