Geral

Médica Raíssa Soares tem contas do Instagram e Facebook suspensas

Em vídeo divulgado no Instagram da deputada Bia Kicis, a ex-secretária de Saúde de Porto Seguro disse que continuará informando sobre a Covid e as vacinas

.

Radar64
07/12/2021 por RADAR64

Divulgação/Radar64Divulgação/Radar64

A médica Raíssa Soares, ex-secretária de Saúde de Porto Seguro, teve suas contas no Instagram e no Facebook bloqueadas no sábado (04). No mesmo dia, em um vídeo publicado no Instagram da deputada federal Bia Kicis (PSL/DF), a médica disse que não irá se calar e atribuiu a suspensão de suas redes sociais a um vídeo que ela havia divulgado dias antes sugerindo que a proteína “spike” contida nas vacinas contra a Covid causariam “inflamação e formação de coágulos”.


“Isso não vai me deixar de tratar a Covid por fases, cuidando dos pacientes; isso não vai me parar de informar as pessoas o que elas precisam saber; isso não vai me impedir de dizer a verdade para vocês, de falar sobre as vacinas”, afirmou a médica. “Eu entendo (que o que levou à suspensão das contas) foi o último vídeo em que eu explico sobre a proteína spike, que incomodou muita gente”, comentou.


A ex-secretária de Saúde disse que estava brava e fortalecida, e que a derrubada de suas redes sociais lhe deu mais força para proteger e lutar pelo povo. “Podem contar comigo. Vou continuar salvando vidas”, concluiu.


Após o bloqueio de suas redes sociais, a médica passou a utilizar outra conta no Instagram, chamada por ela de “conta reserva”. Em vídeo postado domingo (05), Raíssa e o marido, Geraldo Soares, agradeceram o apoio recebido de seus seguidores. “Geraldo e eu agradecemos as milhares de mensagens de apoio do país inteiro!! Sempre lutaremos pela verdade!! Sempre lutaremos pelo povo!!!”, afirmou.


AÇÃO DE IMPROBIDADE – As postagens sobre Covid-19 feitas por Raíssa Soares nas redes sociais já haviam levado o Ministério Público da Bahia a mover uma ação de improbidade administrativa contra a médica, em agosto deste ano.


Segundo a promotora de Justiça Lair Faria Azevedo, a então secretária de Saúde vinha adotando pronunciamentos contrários ao plano de enfrentamento à Covid, incentivando o uso do protocolo medicamentoso cuja eficácia não foi reconhecida pela Anvisa e desestimulando a imunização da segunda dose das vacinas. Na ação, o MP requereu a indisponibilidade de bens da médica e solicitou que ela deixasse o cargo de secretária da Saúde.


Raissa ficou conhecida por defender tratamento precoce

“A acionada, que possui perfil de influenciadora digital com mais de 156 mil seguidores, apesar de ocupar cargo de secretária de Saúde, mantém postura nas redes sociais diametralmente oposta à política municipal, estadual, federal e mundial de enfrentamento à pandemia do coronavírus, confundindo a população, fomentando indiretamente a disseminação do vírus e promovendo um descaso com a coisa pública e prejuízo ao erário”, ressaltou, na época, a promotora de Justiça Lair Faria Azevedo.


EXONERAÇÃO – No início de novembro, Raíssa deixou o cargo de secretária de Saúde de Porto Seguro. Na ocasião, ela justificou a saída afirmando que iria se dedicar à carreira política e concorrer a um cargo nas eleições de 2022.


Conhecida como Doutora Cloroquina, a médica ganhou notoriedade nacional por defender o uso de hidroxicloroquina no tratamento da covid-19 e recomendar que o presidente Jair Bolsonaro enviasse ao município mais caixas do medicamento, considerado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) ineficaz no combate à doença.


.


Link curto: https://bit.ly/3lKhWzw

TÓPICOS:
Radar64

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu