Crimes

Grupo é preso após colocar fogo em área de fábrica de celulose no extremo sul

Homens estariam inconformados após terem serem demitidos

Redação com informações do G1 Bahia
27/03/2019 por Redação, atualizado em 27/03/2019 às 17h20 por Redação

Grupo queria vingança após demissão. (Divulgação/Polícia Civil)Grupo queria vingança após demissão. (Divulgação/Polícia Civil)Seis homens foram presos nesta quarta-feira, 27, acusados de terem incendiados pilhas de madeira que pertenciam a empresa de celulose onde trabalhavam na cidade de Mucuri, extremo da Bahia. Eles teriam cometido o crime por estarem inconformados por terem sido demitidos.

A Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que Ivan Gleison da Silva, Irlan Rodrigues da Silva, Neílton Ribeiro da Silva, Márcio Romualdo Rocha, Moisés Costa dos Santos e Reginaldo Santos Matias trabalharam como terceirizados na Suzano, que produz papel e celulose.

*** TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ***
Ainda segundo a SSP-BA, o grupo foi detido durante a operação Friendly Fire (Fogo a migo em português). A polícia suspeita que os suspeitos provocaram vários incêndios como forma de retaliar a empresa por não concordarem com as demissões.

O grupo foi autuado pelos crimes de incêndio e associação criminosa. Um dos presos, Irlan, foi autuado também por porte ilegal de arma de fogo. Na casa dele a polícia encontrou duas espingardas calibre 12 e um vasilhame com pólvora e chumbo.

Um sétimo envolvido, identificado como Márcio Rodrigues de Oliveira, ainda não foi encontrado e está sendo considerado pela polícia como desaparecido.

Link curto: http://bit.ly/2YrgYe6

TÓPICOS:
Prisões incêndio bahia

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu