Crimes

Polícia fecha fábrica clandestina de palmito e dona acaba presa

Empresa funcionava dentro da casa da acusada

Redação com informações do G1 Bahia
22/08/2018 por Redação, atualizado em 22/08/2018 às 09h49 por Redação

136 potes de palmito foram apreendidos. (Divulgação/Polícia Civil)136 potes de palmito foram apreendidos. (Divulgação/Polícia Civil)Uma mulher de 39 anos foi presa nesta terça-feira, 21, em Teixeira de Freitas, acusada de manter uma fábrica clandestina de palmito dentro de casa. Segundo a Polícia Civil, a empresa funcionava há 16 anos.

*** TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ***
Silvane Silva Reis trabalhava juntamente com o marido, Jorge Luiz Pereira Souza, de 54 anos, que já era investigado por receptação de carne roubada. O homem no entanto, não estava no local, no momento da abordagem.

Dentro da fábrica clandestina, foram apreendidos 136 recipientes de palmitos já prontos para a comercialização e 30 kg de palmito natural. O produto utilizado era de palmeira Jussara, que tem a retirada proibida, além de ser cortado sem utilização de máquinas e com falta de higiene.

Os rótulos nos recipientes eram copiados de uma empresa de Minas Gerais. Silvane deverá responder por corromper, adulterar, falsificar ou alterar substância ou produto alimentício destinado ao consumo, tornando-o nocivo à saúde.

Link curto: http://bit.ly/2Nb0Rvk

TÓPICOS:
Prisão fábrica Clandestina palmito

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu