Cidadania

Festival de Aves de Porto Seguro reúne educação e consciência ambiental

A prática de "passarinhar" também foi estimulada como forma de conhecer para preservar

Ascom / Veracel
25/04/2018 por Redação, atualizado em 25/04/2018 às 15h17 por Redação

Cerca de 1000 pessoas entre crianças, jovens, adultos e observadores de aves com foco na preservação ambiental (ASCOM/VERACEL)Cerca de 1000 pessoas entre crianças, jovens, adultos e observadores de aves com foco na preservação ambiental (ASCOM/VERACEL)Todo mundo tem uma história de passarinho para contar e reconhece a beleza das aves tornam nossas florestas mais coloridas e exuberantes. Buscando promover a prática da observação da observação de aves livres na região, nasceu o primeiro Festival de Aves de Porto Seguro. O evento, realizado de 20 a 22 de abril, no Centro Histórico de Porto Seguro, cerca de 1000 pessoas entre crianças, jovens, adultos e observadores de aves com foco na preservação ambiental.

No Festival, nada de gaiolas e sim atividades de educação ambiental como palestras, oficinas, exposição fotográfica e cantinho especial para contação de histórias que movimentou o público, além de despertar a importância da qualidade de vida na região a partir de relações saudáveis com o meio ambiente.

*** TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ***
No segundo dia do evento, foi lançada a versão digital do livro Observação de Aves na Costa do Descobrimento – Educação, conservação e sustentabilidade – e o guia de bolso Aves do Descobrimento. Os materiais são didáticos e foram organizados a partir de estudos das aves da região da Costa do Descobrimento pelo ornitólogo, Luciano Lima, do Instituto Butantã, e por Ivana Lamas e Taís Lucílio, da Conservação Internacional. A proposta é que os materiais produzidos sejam utilizados como uma ferramenta de diagnóstico para o turismo sustentável local, geração de ciência cidadã e educação ambiental. “O guia foi pensado para pessoas que têm interesse em começar a atividade de observação de aves. Inclui uma seleção com cerca de 120 espécies, comuns e notáveis na região, como o Crejoá, ave que compõe a capa do guia”, detalhou o ornitólogo Luciano Moreira.

A diversidade brasileira de aves, em especial, na Costa do Descobrimento, favorece a formação do cenário de turismo de aves. A temática é abordada no livro, sob a perspectiva de como agregar valor e novas possibilidade de atividades atraindo um novo público, aliando economia e preservação.

O 1º Festival de Aves é uma iniciativa do projeto de Observação de Aves da Costa do Descobrimento, em parceria entre a Conservação Internacional, RPPN Estação Veracel, RPPN Rio do Brasil, Parque Nacional do Pau Brasil e Refúgio da Vida Silvestre Rio dos Frades, com apoio das secretarias de Educação e Turismo da prefeitura de Porto Seguro.

O 1º Festival de Aves é uma iniciativa do projeto de Observação de Aves da Costa do Descobrimento (ASCOM/VERACEL)O 1º Festival de Aves é uma iniciativa do projeto de Observação de Aves da Costa do Descobrimento (ASCOM/VERACEL)

A educação e o Festival de Aves
A professora Jacqueline Alcântara acompanhou os estudantes da Escola Municipal de Sapirara, no primeiro dia do festival. Para ela, a iniciativa favorece o processo de educação do estudante em todas as etapas da vida. “Participar com meus alunos do festival foi uma experiência única. É mais uma ferramenta para educação ambiental, aguçando em nossos alunos a observação de aves como parte do conhecimento científico e o interesse pela biodiversidade da região”, destacou.

*** TEXTO CONTINUA APÓS PUBLICIDADE ***
As crianças puderam viajar no mundo sonoro dos pássaros na tenda de contação de histórias com a lenda indígena Mãe da Lua e o Bacurau. Características físicas de algumas espécies e seus sons foram apresentadas na história. Paloma Lorrany Santos Pimentel, 11 anos, estudante da Escola Maria Lúcia, na Agrovila de Porto Seguro, esteve no festival e disse que já observa aves em vários lugares. “Eu vejo pássaros no quintal de casa ou indo para a escola. E ainda tiro fotos para pesquisar e saber mais sobre eles”, disse Paloma. Ela ainda completa: “Quero usar minhas fotos para mostrar para as pessoas que o pássaro tem que viver livres. Ele não pode viver em gaiolas” finalizou.

As crianças puderam viajar no mundo sonoro dos pássaros na tenda de contação de histórias com a lenda indígena Mãe da Lua e o Bacurau (ASCOM/VERACEL)As crianças puderam viajar no mundo sonoro dos pássaros na tenda de contação de histórias com a lenda indígena Mãe da Lua e o Bacurau (ASCOM/VERACEL)

Passarinhar
A observação de aves foi realizada em alguns momentos do festival num movimento chamado “Vem Passarinhar”. Passarinhar é uma oportunidade de contemplação de aves e de estabelecimento de novas conexões com o ambiente. Não precisa de equipamentos complexos ou estratégias para ver os pássaros e pode ser feito por pessoas de qualquer idade.

A RPPN Estação Veracel é um lugar excelente para passarinhar. Espécies raras e ameaçadas de extinção podem ser observadas e fotografadas na área. “Recebemos pessoas de todo o mundo, com ou sem experiência na observação de aves. São pessoas interessadas no contato com a natureza e na diversidade de aves da região”, disse Virgínia Camargos, coordenadora da RPPN Estação Veracel.

Para observar aves na RPPN Estação Veracel, é necessário agendar pelo telefone (73) 3166-8759.

Link curto: http://bit.ly/2KgkFMM

TÓPICOS:
Veracel Festival De Aves Estação Veracel Meio Ambiente

COMPARTILHAR

PUBLICIDADE

MAIS NOTÍCIAS DO RASTRO101
menu