Menu

MENU

PUBLICIDADE

Publicado: 01/06/2016, por Redação Atualizado: 02/06/2016 às 14h10, por Redação

Acidentes 12

Situação do nível no Rio Limoeiro que abastece Itagimirim é crítica

Se não chover, o volume de água no reservatório só abastece a cidade por 60 dias, afirmou o técnico da Embasa em Itagimirim

Redação Rastro101


Nível do Rio Limoeiro que abastece Itagimirim está abaixo do limite aceitável. (Divulgação)Nível do Rio Limoeiro que abastece Itagimirim está abaixo do limite aceitável. (Divulgação)

É crítica a situação do Limoeiro, rio que abastece Itagimirim, município do extremo-sul da Bahia com pouco mais de 7 mil habitantes. De acordo com informações de técnicos da Embasa, o nível da represa, que tem cerca de 5 metros de altura, está com apenas 1,5 de água.

Além do nível crítico no volume de água no reservatório de água bruta, outro problema preocupante é a falta geral de água na nascente e afluentes do rio, devido a escassez de chuvas na região. "Hoje não existe nenhum fio de água chegando na represa. O nível baixou tanto que é possível ver o capim nascendo nos bancos de areia no meio do rio. Se não chover, vai faltar água em pouco tempo.", comentou o técnico da Embasa, Raimundo Brito.

Bomba está quase na lama e água está com excesso de manganês. (Divulgação)Bomba está quase na lama e água está com excesso de manganês. (Divulgação)

De acordo com Ramildo Camilo, técnico responsável pelo escritório da Embasa em Itagimirim, se não chover nos próximos dias, a água que ainda restana represa só abastecerá a cidade por aproximadamente 60 dias. Ainda segundo Ramildo, a bomba trabalha jogando uma média de 70 m³/h, e que o consumo médio de água na cidade é de 800 m³ por dia. "Devido ao período mais frio, reduzimos apenas o tempo de trabalho da bomba, mas mesmo assim é preciso que a população se conscientize em economizar água ao máximo", disse Ramildo.

A marca do nível do rio no leito mostra a rapidez em que a água está acabando. (Divulgação)A marca do nível das águas no leito do rio indica a rapidez em que a água está acabando. (Divulgação)

Falta contante de água

Ramildo explicou que a redução no tempo de abastecimento nos últimos dias, o que deixou alguns estabelecimentos sem água tratada, foi devido a necessidade urgente de manutenção e mudanças da bomba de captação de água bruta, justamente por conta do baixo nível de água no reservatório. "O nível baixou tanto que a bomba já estava puxando mais lama do que água. Foi necessário fazer a mudança de local da bomba por 3 vezes, e colocar ela para o centro do rio. Esse é a última posição em que a bomba pode ficar, até a água acabar por completo se não houver uma solução.", ressaltou.

Aumento do fluxo de pessoas nos chafarizes da cidade. (Foto: Rastro101)Aumento do fluxo de pessoas nos chafarizes da cidade. (Foto: Rastro101)

De acordo com relatos de diversos moradores, a água fornecida pela Embasa tem um gosto horrível, deixa as roupas manchadas e coceiras no corpo. Isso obrigou a maioria deles a pegar água nos chafarizes da cidade.

Água sem qualidade

Muita gente ainda reclama da qualidade da água que chega nas torneiras das casas, manchando roupas e com sabor estranho. Ramildo explicou que justamente por conta do baixo nível da água, o teor elevado de manganês que fica próximo ao solo está sendo puxado. "Antes isso não acontecia pois a água era puxada na parte de cima, já que a bomba fica na superfície. Agora a bomba está quase no chão", explicou.

Água com excesso de manganês deixa a população revoltada. (Foto: Rastro101)Água com excesso de manganês deixa a população revoltada. (Foto: Rastro101)

Soluções da Embasa

Ramildo informou que técnicos contratados pela empresa, inclusive com a presença de um geólogo, estiveram em Itagimirim recentemente para analisar a situação da falta de água. De acordo com Ramildo, existe a possibilidade de perfuração de 5 poços artesianos, o que supriria a necessidade geral da cidade. Segundo Ramildo, apenas um dos poços poderia chegar a vazão de 20 m²/h. "Em apenas 10 horas, o total de água dos cinco poços chegariam a 1 milhão de litros", informou Ramildo, ressaltando que a qualidade da água nos poços já é boa o suficiente para a população, precisando receber o mínimo de tratamento.

Só existem pedras onde antes corria água. Se não chover, a água acumulada no reservatório só abastece a cidade por mais 60 dias. (Foto: Rastro101)Só existem pedras onde antes corria água. Se não chover, a água acumulada no reservatório só abastece a cidade por mais 60 dias. (Foto: Rastro101)

Ramildo informou que existe uma grande preocupação com a situação, e até emitiu nota recentemente informando que iriam ser aplicadas multas para quem lavasse veículos e calçadas com mangueiras. "É preciso conscientizar a população para o uso racional da água. Se não fizermos isso, em pouco tempo poderemos ter que racionar", concluiu Ramildo, que disse que todas as medidas possíveis estão sendo tomadas.


NOTÍCIAS RELACIONADAS ÁLBUM Comunicar erro na matéria

COMUNICAR ERRO

Este espaço destina-se apenas à comunicação de erros encontrados em nossos textos. Preencha os campos abaixo informando os detalhes do erro.



PUBLICIDADE

TÓPICOS: Embasa água Veja mais
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Estamos nas redes sociais:

PUBLICIDADE

Últimas no Rastro

PUBLICIDADE
Receba nossas notícias
PUBLICIDADE
Cadastre-se no Rastro101 e receba nossas notícias



RASTRO101
© COPYRIGHT 2011-2017 | DR WATSON INFORMÁTICA E PUBLICIDADE LTDA.